quarta-feira, 4 de julho de 2012

DUSK AT THE MANSION + PLANETA POP, 30/6/2012, RITZ CLUBE - REPORTAGEM



"Will You Wake Up Today?" é o EP de estreia de David Costa, Leihla Pinto e Ricardo Mestre, o trio que forma os Dusk At The Mansion, e que serviu de mote ao concerto da banda no Ritz Clube, em Lisboa, acompanhado pelas projecções vídeo personalizadas por Dinis Correia. 


Apesar de serem muito claras as raízes do som dos Dusk At The Mansion, é sempre surpreendente a energia pop que é acrescentada a um universo de synth-pop e de electrónicas minuciosas com frequente uso do vocoder. Para além de surpreendente, essa energia é magnética, mesmo num espectáculo dos Dusk At The Mansion que tem os seus momentos em que leva as suas raízes muito mais a sério, em temas como "Left To Die" e "(Weather Forecast) Storm". Todavia, num alinhamento em que o EP está quase todo colocado na parte intermédia da actuação, sobressai a ligação íntima entre bateria, violoncelo e teclados que transforma em definitivo a música da banda em algo mais, em algo mais pop e até dançável. 



Aproveitando o ambiente aconchegante do palco, em que se cruzavam um manequim dividido horizontalmente em duas partes, um castiçal e a banda com os seus instrumentos, os Dusk At The Mansion aproveitaram para a seguir a "Model in Pieces", um dos temas do seu EP, recordar a altura em que passaram pelo Festival Termómetro e tiveram de apresentar uma versão de uma música que não fosse da sua autoria: a selecção pareceu fácil e "The Model", dos Kraftwerk, acabou por também ser integrada no alinhamento desta noite e tocada de uma forma muito sóbria, mantendo os pontos cruciais desse clássico de uma banda referência para os Dusk At The Mansion. A parte final do concerto contaria com uma nova canção ainda sem nome e com "Deep Breath", a canção que fecha "Will You Wake Up Today?".

Claramente animada pela boa recepção das suas músicas e pela surpresa que tinham para o encore, a banda não demorou muito a retornar às luzes e a apresentar uma muito boa versão de "Playback", original de Carlos Paião, a estender a passadeira para que Paulo Lizardo, um dos DJs "Planeta Pop", mostrasse as músicas que fazem parte da sua galáxia. Para trás ficara um planeta Terra em que naquele Sábado, os Dusk At The Mansion fizeram da melancolia das paisagens electrónicas vitamina do propósito eminentemente dançável para que evoluíram desde os primeiros passos que artistas como os Kraftwerk ou Jean Michel Jarre deram. Olá século XXI.




André Gomes de Abreu
Agradecimento especial ao Luís Martins
(
http://faroutandbeyond.tumblr.com)
pelas fotografias do concerto




0 comentários:

Publicar um comentário

Twitter Facebook More

 
Powered by Blogger | Printable Coupons