terça-feira, 24 de abril de 2012

Modo Mudo - EP


Oriundos de Vagos, distrito de Aveiro, os Modo Mudo são um quinteto composto por Pequeno (bateria), Jorgito (baixo e apoios vocais), André (guitarra), Pedro (voz, guitarra) e Luís (piano, guitarra e apoios vocais) formado em 2009. Depois de algum tempo refugiados no seu laboratório musical decidiram brindar os seus seguidores com o lançamento do seu primeiro registo, o EP homónimo Modo Mudo, lançado em Janeiro de 2010.

Modo Mudo é condimentando unicamente na língua de Camões. Com uma sonoridade pautada por um lirismo sempre simples e eficaz, cria-se, ao longo de todo o EP, uma fusão
bastante agradável entre a vertente lírica e a vertente instrumental. Citando os próprios, é da intuição e necessidade de tornar físicas as palavras e melodias que os acompanham no quotidiano que surge, em sintonia, a banda.
Ao longo de todo o registo somos invadidos por uma série de influências que servem de
génese criativa à música do quinteto. Nomes como Ella Palmer, Peixe : Avião ou, até
mesmo, e deambulando por influências internacionais, os britânicos Suede, vêm à cabeça
quando escutamos a música deste quinteto aveirense. Trata-se de um rock alternativo muito característico, herdando algumas de características do britpop do panorama alternative britânico dos 90’s. De facto, creio que os apreciadores deste género musical engraçarão bastante com o som produzido pela banda.

Liricamente, e como já foi dito, Modo Mudo é condimentado exclusivamente em português. Apetrechado por lirismos simples, encontramos, ao longo do registo, versos dignos de serem escritos por egrégio vate. Exemplo disso mesmo é, na minha opinião, a segunda faixa do registo, Um tique contra-taque, que é composta por versos bastante admiráveis como “enquanto o tempo não vai parar(…)em tons de preto o fado quer cavar (…) a terra está a chamar”.
O registo é composto por cinco faixas, sendo que uma delas é a sua introdução. Apesar de
ser um registo bastante pequeno dá para abrir o apetite (e de que maneira!) à pequena
comunidade de fãs da banda que se tem vindo a formar ao longo do tempo. Existem
momentos do registo que merecem nota máxima, exemplo disso mesmo é a última faixa que faz parte do registo, Evasão. Uma música muito bem conseguida, onde ocorre uma fusão espetacular entre o elóquio de Pedro e as guitarras bem poderosas ao leme do mesmo e de André (de realçar, também, o piano, que acaba por conferir uma atmosfera peculiar a Evasão).

Contudo, e apesar de todos os aspectos, até aqui, serem bastante positivos, Modo Mudo
acaba por não ser um registo totalmente perfeito. Existem algumas desafinações a nível vocal que não passam totalmente ao lado do ouvinte, como acontece, por exemplo, na segunda faixa do registo, Um tique contra-taque. Mas estas pequenas falhas são posteriormente aniquiladas por grandes momentos musicais como Quadros ou Evasão.


Com este registo de estreia, a banda aveirense provocou alguma água na boca aos seus
seguidores. Espera-se, já, ansiosamente, que os Modo Mudo fecundem um novo irmão para o presentear aos seus fãs. Até lá resta-nos uma espera em modo mudo.

Pontos altos do registo: Evasão e Quadros
Ponto menos bom do registo: Um tique contra-taque

Classificação final: 6.9/10

Seguir Modo Mudo no Facebook: http://www.facebook.com/modomudo

Emanuel Graça




2 comentários:

Luís Teixeira disse...

ao vivo dia 26 de Abril no Enterro de Aveiro

Emanuel Graça disse...

Lá estarei!

Enviar um comentário

Twitter Facebook More

 
Powered by Blogger | Printable Coupons